quarta-feira, 25 de junho de 2014

A luz


foto: luís m castanheira

I

Passa por mim o pecado
O momento ora parado
De não estar a teu lado
Dar-te a mão, ser-te amado.



II


À luz dum candeeiro
Na rua do meu desejo
És figura por inteiro
És o sonho que almejo.

Rua da minha cidade
Onde a noite é ternura
Espalha-se uma saudade
D’outras noites de ventura.

Sombras… são só sombras
Ou serão folhas de vento
Não certamente serão pombas
Talvez penas do meu tormento.

Mas a rua é bem iluminada
Não vejo razão nessa ilusão
Espero o amanhã, por nada
Que não seja a tua visão.


LM_19.nov.2013






Sem comentários:

Enviar um comentário