domingo, 8 de junho de 2014

Folhas

I

Caiem as velhas folhas, débeis
Não pela visível fadiga, frágeis
Mas porque na sua fraqueza
O vento fustiga-as com dureza.

 30.nov.2013 – 25.45h

II

As velhas folhas caiem
foto: luís castanheira
Não por serem velhas
Mas por as fustigarem
O vento nas suas malhas.

 30.nov.2013 – 18.00h

III

Caiem as velhas folhas
Pelo vento fustigadas
Não por serem velhas
Mas exaustas e fadadas.

Caiem as velhas folhas
Em vendaval outonal
Fustigadas na fraqueza
Exaustas, em voo espiral.
Pássaros sem escolhas
Em voo único de beleza.

 4.dez.2013
  

IV

há tanta beleza
na folha caída
velha, sem defesa
extenuada de vida
- tanta que ofereceu
 desde que nasceu -.

voa em descida
agitada pelo vento
e, antes do fim,
ruma ao firmamento
poisa  perto de mim
- suave flamingo -
o chão colorindo
num outonal domingo
com o sol sorrindo

Almada, 7.dez.2013

V

folhas secas caídas
em jardins e passeios
quais belos flamingos
ainda que já feridas
olham-nos sem receios


belas em novos ninhos.

LM-2013


Sem comentários:

Enviar um comentário