domingo, 8 de junho de 2014

Liberdade é vontade (Há um grito na cidade)

Encerram-se os jardins
Murados dos palácios
As rosas aprisionadas
E outras plantas afins
Longe das vistas vedadas

Comemora-se a liberdade
De gente sem vontade
Fica de fora a verdade
Desta triste realidade

A crise permite tudo
E o povo fica mudo
Tiram-lhe da boca o pão
Roubam-lhe o último tostão
Nem sequer fazem sermão.

Tiram-lhe também a esperança
Na ideia da mudança.

Levantai-vos oprimidos
Acabem com vossos gemidos
Dai um forte golpe de rins
E ocupem esses jardins.

Cheirem todas as flores
Reparem nas belas cores
E façam delas vossos amores.

LM_25.abr.2013 (sempre)


Sem comentários:

Enviar um comentário