domingo, 8 de junho de 2014

nuvem refem

foto: luís castanheira

Dessa nuvem refém
Há-de haver alguém
A ouvir denso grito
Que ela contem.
Há-de haver alguém
A ouvir um ser aflito.

Todo o sonho é prisioneiro
Do sonho de ser primeiro

O sonho ao lançar a raiz
Liberta-se das amarras
E de todas as garras
Onde será feliz.

Num coração imenso
Há um amor intenso
Do tamanho do mundo
Tocando outros seres
Que olhas sem os veres
E os comoves bem fundo.

E nessa nuvem clara-escura
De beleza quase pura
Há uma viagem de certeza
Que te levará ao destino
Onde o grito será um hino

Enriquecendo a pobreza.

LM_2.abr.2014




Sem comentários:

Enviar um comentário