segunda-feira, 2 de junho de 2014

Silêncio


Quero olhar as estrelas nas noites de solidão
e as luzes intensas da rua dizem-me que não
Quero sentir o teu cheiro de orvalho caído
mas o teu perturbado dormir deixa-me perdido

E sem poder olhar
e nem poder amar
também posso calar
este sentimento
perdido no tempo
de quem não tem com quem falar.

E assim, cego na noite, vejo-te  em luz
dentro de mim
E olho as estrelas, sinto o amor
dos teus lábios em flôr
E encontro o caminho que a ti me conduz.

LM_01.10.97



Sem comentários:

Enviar um comentário