domingo, 8 de junho de 2014

Terra Nova

Tempos de escravatura
na pesca do bacalhau
terra nova de desventura
e um tenreiro feito mau.

Nas guerras coloniais
para não irem à tropa
serviam os senhores da frota
embarcavam, filhos e pais.

Sete anos de servidão
comendo sopas e pão
Gil Eanes, o barco hospital
de apoio aos desgraçados
sem anestesia, tira-dentes
como se fosse dum animal
e ao trabalho logo lançados.

Era pesca feita à linha
em botes individuais
e não se fazia farinha
com almirantes ou generais.

Logo estava à espera a pide
no porto de desembarque
caso houvesse queixa na lide
por qualquer chefe de fraque.

A reforma era a miséria
quando velhos e cansados
e as viúvas ficavam à espera
de desaparecidos destes fados.

Exemplo dado era agraciado
por quem olhava sobranceiro
mão flácida, visando p’ro lado
o pescador, mais um carneiro.

Ah, triste de quem nasceu pobre
em tempos de escravidão
a vida enriqueceu o nobre
e morreu num simples caixão.

LM_18.fv.2014



Sem comentários:

Enviar um comentário