segunda-feira, 2 de junho de 2014

“Verão Quente” - II


 II

Era Novembro que passava
Da tarde tão quente que ficava
Na lembrança de um verão
que se prolongava
Ainda nos cravos da Revolução
que eu tanto amava.

E da Estrela ao Rato, nessa tarde tão linda
Eu me encaminhava, contigo ao meu lado
E a luz perdurava, nos teus olhos brilhava
Senti que  amava, profunda a imagem
Que se espelhava, 
na alma que eu vi tão imaculada.



LM_Lg.da Misericórdia – Lx. 12.Jun.00



Sem comentários:

Enviar um comentário