sexta-feira, 22 de agosto de 2014

límpida a madrugada

era belo o sonho intenso e puro
criado ao longo da noite de frio
onde a madrugada sempre adiada
tardava em primavera acordada.
mas o sonho desenraizou-se do muro
desfazendo-se no leito do rio
e a enxurrada desceu à cidade
lavando-a de toda a sujidade.

hoje, novos muros são levantados
aprisionando outros sonhos alados.



Sem comentários:

Enviar um comentário