quinta-feira, 18 de setembro de 2014

entre o sonho e o mar

foto:luís castanheira
rebentos dum rio
nascidos em fio
doces as águas 
e agora salgadas
correm pelos vales
em flores de amores
e esses rebentos,
irmãos
todos os momentos
crescem em arribas
de mares por medidas
juntos espreitam
futuros sombrios
com nuvens de maresia
em doce utopia
entre praias de sonhos
e pesadelos medonhos
é um Marco de vida
e uma Soraia rendida
aos encantos
da inocência ainda retida.

entre o futebol,
a escola e o sol
há toda uma praia
em maré viva
ferida
há uma ausência
um vazio
não apreendido
mais tarde lembrarão:
o pai no seu ganha-pão
trabalho suado
em terra distante
sozinho
como emigrante

riba mar
terra a levantar
- que o mar não tem medida
e o seu sonho é navegar -
com ventos que se hão-de criar
e só a terra os pode parar.

e estas crianças
que hoje sorriem
terão um destino
por nós consentido:
a emigração
por não terem pão.

( na lourinhã,

 homenagem a uma jovem mamã
na coragem da manhã)

Sem comentários:

Enviar um comentário