sexta-feira, 10 de outubro de 2014

ângulo raso


Sou mais pessoa com Pessoa
mais feliz por aquilo que não fiz
habito a mesma cidade, Lisboa
e ela, bela, é a minha meretriz.
(é bela, a terra que sempre quis)

A solidão não a tenho nesta mão
mas sirvo-me da doida desilusão
do tempo voado, parado, queimado
em que escrevo preso ao meu Fado.

Sonho igual, no sonho inacabado   
entre gente,  de não ser inteligente
poder servir-me de mim mesmo, do
querer pensar e algo de novo criar.

Já tudo foi inventado...acho eu!
já o mundo foi recriado...mudado
já o sonho é agora alienado...finado
mas há sempre nova forma de o ver
num prisma, numa lente, num olhar
para sentir que o posso ainda amar. 


Sem comentários:

Enviar um comentário