quinta-feira, 17 de setembro de 2015

2011-2015_eleições

mentiras
tantas as mentiras 
as mesmas ou antigas
repetidas
armas das minhas feridas.

(a arte de enganar)




quarta-feira, 9 de setembro de 2015

as redes

sob as asas negras do ódio
há sombras de tempestade
voam em círculos fechados
lançando toda a maldade e
nas feridas, cloreto de sódio
penicando os desgraçados.

há redes que nos apertam
- sentimentos ali deixados -
e as feridas ficam expostas
nas balas que quase acertam
e eles, mesmo estando calados
têm palavras em letras mortas.

...esquecem os êxidos  da História.







terça-feira, 1 de setembro de 2015

porque é sexta-feira...



é sexta-feira, dia de feira, ou talvez não...mas que canseira
parte-se em viagens imaginárias. fim-de-semana aqui à beira
longe de tudo, longe da semana que chega ao fim 
todo um pesadelo a passar por mim.
encolhem-se as horas e a demora. fica-se à espera de qualquer coisa
pelo dia fora. há a esperança, numa bonança, no euromilhões,
deixa-se o trabalho a descansar, onde haveremos de lá voltar
se ainda existir, no meio da crise que tudo veio abalar
e, no fim do mês, por cada mês, traz-se para casa mais uns tostões
que nunca chegam para os desejos acumulados e serão gastos em obrigações
pois..., sem ser eleito ou nomeado, pensa-se o dia, como um deputado,
(ter de fugir ao rebuliço dos interesses). vamos lá ver se o domingo não sai furado...