sábado, 18 de fevereiro de 2017

o espelho

[a escuridão]
"quanto maior é, menos se vê."    

Foto luís_m.


espelho negro diz-me o que vês
na pequena chama, essa que lês
o destino não está ainda acabado.

penumbra que o oráculo esconde
dá-me uma razão válida por onde
minha antiga chama viva em fado.

perceptível é o tempo na despedida duma certeza
e sempre triste quando se apaga toda a beleza.

5 comentários:

  1. O melhor é fugir da escuridão...enquanto se consegue. É o que tento, com toda a minha força!

    ResponderEliminar
  2. a imagem do espelho negro é muito expressiva ... e impressiva!
    e a débil chama da vela evoca um profundo sentimento de perda, como se fora o último recurso de um condenado.

    há momentos assim, que visto à distância nos fazem rir.

    gostei muito do poema

    caloroso abraço, meu amigo

    ResponderEliminar
  3. Em alguns momentos o poema lê o leitor, e aí, interpretação acontece no que se sente... Teu poema me leu um "futuro indefinido", do qual, alguém tenta enxergar seu tênue reflexo. O futuro como um espelho negro.
    Teu poema é muitíssimo belo!
    Abraço

    ResponderEliminar
  4. Há um paradoxo da luz na escuridão.
    A luz diz sempre que não
    ao mais tenebroso escuro.

    Abraço.

    ResponderEliminar