terça-feira, 25 de abril de 2017

a velha foto

cama de fogo em lar de pedra
cinzas de um lugar esquecido
e o fumo negro dos tempos
onde tudo é escuridão
entre a candeia
a cantareira e o panelão.

olho a preto e branco a fotografia antiga
na minha mão
picada nos cantos por alfinetes espetados
e tons manchados
no amarelado fumado
dos tantos anos na cozinha em exposição.

dum pequeno rasgão 
sobressai uma costura em linha fina
como se não houvesse perdão
para uma imerecida desunião.

quantos olhares se fixaram
quantos desejos se esfumaram
quantos beijos se perderam
na única e física recordação?

(fotografia do casamento dos meus pais em casa dos meus avós)


2 comentários:

  1. LuisM
    um poema aclamar memórias, mas pode ser do meu PC mas não vislumbrei a foto.
    beijinhos
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Piedade:
      O seu PC não é culpado por não mostrar o que lá não está.
      A foto não foi publicada. Serviu as memórias nas palavras.
      Um beijo, amiga.

      Eliminar