quinta-feira, 21 de setembro de 2017

neurónios

agora
essa voz que aflora
interior
chamando com amor
o meu nome
simples, sem pronome
e cristalina...
é a chama que  ilumina
o teu rosto
no meu cérebro
sobreposto.


Sem comentários:

Enviar um comentário