terça-feira, 26 de setembro de 2017

os pássaros

[alguém...]

de mãos nos bolsos e assobio no ar
passa pelo vento, com sonhos no olhar.

ainda oiço o rasto melódico
entre sombras temporais.

quando (e onde) perdi tão íntimo musicar?


Sem comentários:

Enviar um comentário