sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

esboço

se arquicteto eu fosse,
desenharia palavras,
na paisagem de sombras e luz, 
a nascente viradas
e, por dentro delas, construiria emoções, 
na permanente certeza 
que, por mim, seriam habitadas.

de dentro, olharia horizontes, projectados à medida dos sonhos.

LM_05.jan.2018


3 comentários:

  1. Poema belíssimo e inscrito de forma
    única na arte da Poesia! ...
    Apreciei imensamente, amigo Luís.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. desculpa, Luis
      numa segunda leitura pareceu-me um pouco "desproposidado" o comentário e por isso apaguei

      o poema é muito belo e deveria ter merecido da minha parte mais atenção de análise e palavras mais cuidadas.

      fico grato
      forte abraço, meu caro amigo Luís Castanheira

      Eliminar