terça-feira, 5 de junho de 2018

berço


ribeiro louco de anseio
que galgas de permeio
entre quedas e querelas
na pressa de ao mar chegares
sem tino, para ai te matares
e perderes as coisas belas.

também eu vivo aflito
na canseira deste rito
de acabar por parar
sem margens p'ra onde olhar.

um dia hei-de querer
ao começo de voltar
encontrar o berço teu
no menino que fui eu.

... e aprender a olhar!

lm_05.jun.2018

Sem comentários:

Enviar um comentário