quarta-feira, 6 de junho de 2018

multidão

"quem tudo quer
nada tem
e tudo perde
sem saber de quem."

estás disposta a tudo
abandonar
na paixão
e entrega
com que eu possa ficar?

vi logo que não
trazes contigo os fantasmas
que dilaceram o coração.

e eu, então
sou feito de solidão
que não casa
com o ruído
no meio da multidão.

"tanta gente numa cama
não se pode chamar união."

lm_06.jun.2018

1 comentário:

  1. Há fantasmas que dilaceram o coração e não se conseguem apartar... este poema tocou-me muito.

    Beijinhos
    Fanny Costa

    ResponderEliminar