domingo, 17 de maio de 2020

um fio no vazio


olha para mim
esculpe no meu corpo as
linhas marfim
dos barcos habitados

eu preciso de ti

leva-me para longe
ou fica aqui
com olhos de mar
e ventos
ao passar das horas

uma gaivota sem colar
na indiferença
voa
a querer poisar…

terça-feira, 12 de maio de 2020

filicídio


quando irado o vento
chora
nas frestas abertas
onde se mora, o
desamor
ouve-se na 
dor
da vida roubada.

aquele que nunca amou
nem de si tem noção.

quinta-feira, 7 de maio de 2020

para ti




Para ti, Sofia, 
com todo o meu Amor.

Das tuas mãos 
moldaste a vida
que de ti fez
o meu orgulho.

Tens a luz
a compreensão
a sensibilidade
e a paixão
dum universo
onde os deuses
te habitam.
  
Parabéns por este dia !

07-05-2020

quarta-feira, 6 de maio de 2020

página solta

Poisou o livro aberto, de boca espantada para baixo,
sobre o braço do sofá como marcador. A página
acabada, de ler, ainda ecoava na inocência do sangue e,
do peito, deixava escapar o verso, perturbador e incisivo:

" o que é que te aconteceu, mãe?"

Já a voz se tinha extinguido e no ar pairava a sentença
dum destino traçado pela amargura, quando as palavras,
cravadas, impediram mais leitura. De olhar fixo num
ponto de luz interior, cerrou os olhos, ainda sem
compreender onde nascem as emoções e... adormeceu.

Só se lembra de ter pensado no cheiro inalado das maçãs
roubadas.

[Dedicado a Graça Pires, minha Amiga e autora desta nova Obra]



"A solidão é como o vento - Graça Pires"

domingo, 3 de maio de 2020

ser e não ser


OIT: 73 milhões de menores de idade trabalham em ocupações de ...

Lewis Hine
[para o dia do trabalhador, que  foi]


poderia descrever
o sonho da criança ao deitar:

a casa
que a viu nascer
a praia
da areia no pé
a onda
enrolada em fé
a brisa
chorosa por ser
o pássaro
sem saber voar
o quintal
dum reino a baloiçar
a rua
que também poderia ser sua.

mas
ao despertar
é o pesadelo do dia de trabalho
a aguardar.


sexta-feira, 1 de maio de 2020

...


Resultado de imagem para sophia de mello breyner, desenho

menina-mar
espuma-poema
a crescer
no olhar de quem
outro mar
não conheceu.

só o seu.

segunda-feira, 30 de março de 2020

L'Écume des jours...

foto net
remamos marés 
dum mar extinto.

invento-te
num braço de rio
- sem barco
sem remos -
só com "a espuma dos dias".

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2020

1_6

1.
rios que não sabem o mar
rolam as pedras
tantos caminhos a nadar.

2.
chora o cão
a barraca abana
nem sempre há na mesa pão.

3.
nossos amigos
amigos ainda serão
enquanto pensamos que o são?

4.
enguia gorda
bate a cauda no ginásio
ao prato chega tensa.

5.
peixes que falam
homens que ouvem
ouvem para os calar.

6.
pesca-se muito
onde não há peixe
tantas mentiras gabarolas.






sábado, 1 de fevereiro de 2020

acção

súbita gratidão
(in)esperada
na intenção
de recompensar:
cai a maçã bichosa
ao chão que a alimentou.

domingo, 22 de dezembro de 2019

Até que as lágrimas sequem…

Abre a janela
deixa entrar o luar
a noite fez-se para
encantar e ao outro dia
o sol há-de-te espicaçar.

Respira…

Que mal tem
sentires-te viva
e poderes sonhar?

Que mal tem?

Porém, esquece
se o tempo
aquece
teu corpo em meu lugar.

Que mal tem…?

22/12/2019