quinta-feira, 21 de setembro de 2017

neurónios

agora
essa voz que aflora
interior
chamando com amor
o meu nome
simples, sem pronome
e cristalina...
é a chama que  ilumina
o teu rosto
no meu cérebro, sempre posto.


sexta-feira, 15 de setembro de 2017

se te pudesse falar...


em cada criança
em cada olhar
procuro o coração de cristal
renascido 
como se o tempo
voltasse ao teu lugar.

fazes-me falta, amiga...
volta 
mesmo que seja numa qualquer
brisa de mar
numa flor
ou na pureza duma gota  
que me possa alimentar.
um beijo


quinta-feira, 24 de agosto de 2017

só por ti...


só por ti a mim cheguei
nos teus lábios desprendidos
só por ti eu desbravei
sentimentos desconhecidos
só por ti acarinhei
estas vinhas plantadas
só por ti eu provei
essas bagas afloradas
só por ti...

- só por ti eu amei!




terça-feira, 15 de agosto de 2017

a chuva na calçada_cancão

passava encanto e beleza
nas ruas do meu olhar
parececia uma princesa
com o trânsito a parar.

levava com ela o destino
sem saber onde ia dar
no seu passo pequenino
e quem a iria esperar.

os anos passaram por ela
e nela se vieram encrustar
agora muito menos bela
já ninguém vira o olhar.

eu sei que de madrugada
traz as sombras a derramar
pálida da lua ancorada
de quem não a soube amar.

sobe sozinha a calçada
tão cansada de sonhar
uma outra vida achada
que a fizessem amar.

palmilha a escura estrada
de quem a quis comprar
deixa para trás a parada
mais nada tem a guardar.

pálida frente ao luar
vejo-a perder a alma
nas rugas a marear.

são penas amarguradas
que larga ao seu andar
e mágoas acumuladas 
num corpo a esvaziar.

soubesse ela o que sinto
ao vê-la tarde a chegar
saberia como eu finto
o desejo de a amar.

são cachos de solidão
espalhados pelo chão.

e a chuva de mansinho
só ela
bordadeira de carinho
acaricia a sua mão.

domingo, 13 de agosto de 2017

...

anjo negro 
com asas fechadas
coladas ao corpo 
granítico
prisioneiro esculpido
da vontade humana

mataram-te o desejo
ou a liberdade 
não é o teu jeito?